segunda-feira, 21 de junho de 2010

Vou a Marte

Não há vocábulos que se sintam tanto quanto os proferidos por aqueles de quem gostamos, não há vocábulos que descrevam tanto aqueles que veneramos quanto sorrisos, não há vocábulos que descrevam aquilo que tentamos transmitir.
Não há recordações quando se perde algo.
Não se abandalha abandonado, mas em conjunto, mesmo que de uma maneira fantasmagórica, mesmo embriagados, ou chateados, ou mesmo cansados e ocupados. Nós abandalhamos mesmo da maneira mais ridícula que encontramos. Até com um "Vou a marte, se é isso qe tu queres, eu vou a marte :p "
Não há palavras que digam Feliz Aniversário com um abraço em conjunto, mas há gestos que marcam e ficam para sempre. Obrigada lobo (a) , Joyeux Anniversaire :p [acho que é assim que se escreve xD mas como tu também não percebes francês, isso agora também não vem ao de cima não é mesmo?]
Não há palavras que agradeçam todas as discussões que tivémos nem todas as conversas lamexas que entrecruzámos nestes meses [suponho xD] , Parabéns *.*

terça-feira, 8 de junho de 2010

Sopa de Macedónia

Eram horas e alguns minutos "acrescentados à mistura" no tempo.
Estava de mãos entrecruzadas e afagava a caneca cor-de-rosa que se encontrava fragmentada na superfície onde futuramente colocaria os seus lábios.
A música sinfónica acompanhava a sua pequena dor de cabeça, encontrando-se assim de olhos fechados a estimar o cheiro a chá de mirtilo.
Olhava para o ar, a fim de apaziguar a pressão que sentia na cabeça e contemplava os atómos que se encontravam a boiar no mesmo. Estava no campo. [wow, mas que cenário não imaginado, até eu própia iria apostar que ele se encontrava em casa :O] Apenas o som do vento ecoava acima do nível que a Fur Elise se encontrava, era relaxante.
Passaram poucos minutos após o seu telemóvel receber uma mensagem. Era da tal menina do campo que às tantas se tinha arrependido do dia e pedia desculpa por isso. Mais uma vez outra discussão. Mais um dia que a sua pessoa infantil se incorporava de razão. Mais um minuto perdido.
A Neutron Star Collision era agora a sua escolha musical, que velozmente tiver sido aumentada de volume nos seus phones, e a caneca fendada já não magoava os seus lábios. Apenas restava raiva e uma nova mensagem.