segunda-feira, 21 de junho de 2010

Vou a Marte

Não há vocábulos que se sintam tanto quanto os proferidos por aqueles de quem gostamos, não há vocábulos que descrevam tanto aqueles que veneramos quanto sorrisos, não há vocábulos que descrevam aquilo que tentamos transmitir.
Não há recordações quando se perde algo.
Não se abandalha abandonado, mas em conjunto, mesmo que de uma maneira fantasmagórica, mesmo embriagados, ou chateados, ou mesmo cansados e ocupados. Nós abandalhamos mesmo da maneira mais ridícula que encontramos. Até com um "Vou a marte, se é isso qe tu queres, eu vou a marte :p "
Não há palavras que digam Feliz Aniversário com um abraço em conjunto, mas há gestos que marcam e ficam para sempre. Obrigada lobo (a) , Joyeux Anniversaire :p [acho que é assim que se escreve xD mas como tu também não percebes francês, isso agora também não vem ao de cima não é mesmo?]
Não há palavras que agradeçam todas as discussões que tivémos nem todas as conversas lamexas que entrecruzámos nestes meses [suponho xD] , Parabéns *.*

7 comentários:

  1. Mais uma vez, Sónia, belo texto <3
    Quando queremos muito transmitir uma coisa, não há mesmo vocábulos, há gestos ou até mesmo olhares.

    É preciso não haver distância para tal, mas já que há, terá de ser mesmo por vocábulos <3

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Muito espirituosa essa brincadeira que fez com o Francês. (sorrio).
    Quando valtam palavras é hora de versar.
    Não fez sentido né? Mas isso não vem ao de cima. Não é?

    Abraço do Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Já volou de Marte? (sorrio).


    Jefhcardoso @jefhhcardoso

    ResponderEliminar
  4. porcaria de post!

    Quero que te fodas, passado!

    ResponderEliminar

Antropófagos